Cancelar
Acesso CNTV

Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região dizem NÃO a vigilante horista e a outras propostas do patronal

26Fev

Em ) - 10 13 a

Em assembleia realizada no último sábado (24/02), os vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região autorizaram o SVNIT a manter as negociações com patrões. Seguindo orientação da direção da entidade, os trabalhadores deram um sonora não à retirada de direitos proposta pelos empresários. 
Durante as rodadas de negociações com os patrões, o SVNIT já havia negado propostas dos empresários de colocar na Convenção Coletiva de Trabalho a autorização da contratação de vigilante horista (contrato parcial), fim da homologação no Sindicato, criação da CCPI, o parcelamento do 13º salário em 10 vezes, a suspensão do contrato da vigilante feminino em caso de gravidez, trintídeo e a contratação intermitente.
O presidente do SVNIT, Cláudio Vigilante, considera as propostas um retrocesso nas garantias dos direitos. “Se aceitarmos a contratação do vigilante horista vamos autorizar a criação de diferentes pisos salariais no Estado. Teremos vigilantes ganhando menos de R$ 500 por mês. Como esses trabalhadores vão sobreviver? Como vai ficar o recolhimento do  INSS? Enfim, somos contra essa proposta”, afirma Cláudio.
A tentativa dos empresários de impor a alteração da CCT é justificada pela maldita reforma trabalhista que deu mais poder às Convenções Coletivas: o tão falado negociado x legislado. A medida pode levar a categoria a perdas históricas em direitos alcançados.
Nesta segunda-feira (26/02) acontece mais uma rodada de negociação. Os vigilantes de Niterói querem, ainda, que o patronal atenda a reivindicação da categoria com reajuste salarial com a reposição integral da inflação do período mais ganho real em dobro. O SVNIT pede ainda a redução do desconto do vale alimentação dos atuais 20% para 5%, diminuindo o valor a qual o trabalhador é obrigado a ser descontado. Ainda na quarta-feira (28/02), está agendada uma nova negociação.
 
 
Fonte: SVNIT

0 comentários para "Vigilantes de Niterói, São Gonçalo e região dizem NÃO a vigilante horista e a outras propostas do patronal"
Deixar um novo comentário

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.Mínimo de 70 caracteres, por favor, nos explique melhor.