Cancelar
Acesso CNTV

ASSALTOS A BANCO: EM 2010 FORAM 1.130 CASOS E 23 MORTES

24Fev

Uma pesquisa inédita, realizada pelo Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região, revelou números assustadores. Em 2010 foram 1.130 casos de assaltos a banco e arrombamentos de caixa eletrônico em todo o país. Carros-forte não ficaram de fora da rota dos assaltantes. Foram registrados 33 assaltos, um no Paraná, em março. Os dados foram levantados a partir dos casos noticiados na imprensa, informações dos sindicatos dos bancários em cada região e também das Secretarias de Segurança Pública e da Polícia Civil de cada estado. A pesquisa compreende o período de janeiro a dezembro de 2010.

O Paraná aparece em 9° lugar no ranking do número de casos, com 52 registros. Em primeiro vem São Paulo, com 211. O Distrito Federal é o último colocado, com apenas um caso de assalto registrado no ano todo. Cidades do interior são as preferidas pelos assaltantes, pois as agências dispõem de menos equipamentos de segurança e o efetivo policial não é suficiente.

As ocorrências mais graves geralmente são precedidas por sequestro e seguidas de ações violentas com reféns. No Paraná foram duas ações desse tipo. A primeira foi em 10 de junho. Um gerente do HSBC de Pinhais, região metropolitana de Curitiba, foi mantido refém por 17 horas. A segunda foi em 8 de julho. A vítima foi uma tesoureira do banco Itaú no bairro São Braz, em Curitiba.

De acordo com a Febraban, em 2009 foram registrados apenas 430 casos de assalto. “Os dados são contraditórios, pois não é possível terem triplicado em 2010. Isso comprova que os banqueiros não se importam com funcionários e clientes, pois se realmente mostrassem a realidade dos casos revelariam a deficiência do sistema de segurança das agências. O dinheiro que é roubado tem seguro, por isso resistem em investir mais para proteger a vida das pessoas”, afirma João Soares, presidente do SindVigilantes de Curitiba e Região.

Mortes
No ano passado, 23 pessoas morreram em situações envolvendo "saidinha de banco", assalto a banco e a carro-forte, três delas foram registradas no Paraná. Nos casos envolvendo o transporte de valores, seis vigilantes perderam a vida. Incluindo os assaltos a banco, foram oito vigilantes mortos.
Muitas mortes ocorreram em situações de "saidinhas". Não há estatísticas oficiais do número de ocorrências dessa modalidade de crime no país. Em Curitiba, segundo informações do Sindicato dos Bancários de Curitiba e Região, em 2008 a Delegacia de Furtos e Roubos divulgava que a média de assaltos em Curitiba nas saídas de agências era de 6 a 7 por dia. De acordo com o Sindicato dos Bancários, as regiões mais críticas são as do centro da capital e do bairro Alto da XV.

Em São Paulo, uma reportagem veiculada hoje pela manhã na imprensa informou que as delegacias registram casos todos os dias de assaltos nas saídas dos bancos. Os bandidos geralmente estão em dupla, abordam a vítima e usam uma moto para fugir. Em Minas Gerais, dados da Polícia Militar informam a ocorrência de ao menos 70 casos por mês no estado todo.

Confira o ranking nacional dos casos de assalto a banco:
1. São Paulo - 211 casos
2. Mato Grosso - 136 casos
3. Rio Grande do Sul - 105 casos
4. Pernambuco - 81 casos
5. Bahia - 76 casos
6. Espírito Santo - 68 casos
7. Paraíba - 65 casos
8. Rio de Janeiro - 55 casos
9. Paraná - 52 casos
10. Ceará - 44 casos
11. Minas Gerais - 34 casos
12. Rio Grande do Norte - 30 casos
13. Pará - 27 casos
14. Maranhão - 23 casos
15. Alagoas - 21 casos
16. Goiás - 17 casos
16. Santa Catarina - 17 casos
17. Mato Grosso do Sul - 13 casos
18. Piauí - 11 casos
19. Tocantins - 08 casos
20. Rondônia - 07 casos
20. Amazonas - 07 casos
20. Sergipe - 07 casos
21. Acre - 06 casos
21. Amapá - 06 casos
22. Roraima - 02 casos
23. Distrito Federal - 01 caso

Veja os casos que envolveram mortes em 2010

(Com informações da Contraf-CUT)
1. O vigilante Nelson Nunes Reis, 34 anos, foi baleado no tórax e morreu a caminho do hospital durante assalto ao posto do Banco do Brasil no Multishop, no bairro da Boca do Rio, em Salvador. O crime ocorreu no dia 24 de fevereiro.

2. Um bancário foi morto em assalto a uma agência do Bradesco em Santa Luzia do Paruá, no interior do Maranhão, no dia 2 de março. Houve tiroteio e, segundo a polícia, oito morreram. Um deles era caixa na agência e sete assaltantes. Uma gerente ainda ficou ferida e clientes foram feitos reféns.

3. O vigilante Daniel Oliveira de Lima, 40 anos, funcionário da empresa de transporte de valores Proforte, foi morto no dia 6 de abril, quando fazia manutenção do caixa eletrônico do Banco do Brasil num posto de combustível na Avenida Inglaterra, centro de Cambé (PR). Segundo a polícia, um trio chegou armado e deu voz de assalto ao vigilante. Houve tiroteio e a vítima morreu no local.

4. A cliente Lúcia Maria de Carvalho Ramos, de 60 anos, foi morta a tiros no dia 12 de abril durante uma "saidinha de banco" no Grajaú, Rio de Janeiro. vítima teria sacado R$ 10 mil numa agência bancária e foi seguida pelos criminosos. Ao ser abordada, resistiu em entregar sua bolsa e foi baleada.

5. O transeunte Antônio Carlos Mota morreu depois de tiroteio em frente à agência do Santander na Sete de Setembro, em Recife, no dia 14 de abril. Dois motoqueiros tentaram assaltar um cliente, que ia ao banco efetuar um depósito com malote. O cliente resistiu e houve troca de tiros. Um deles acertou o transeunte, que morreu na hora. A vítima era presidente da Escola de Samba Unidos de São Carlos, de Afogados.

6. O cliente Osvaldo da Silva, de 56 anos, foi assassinado em um assalto na saída de uma agência do BRB em Taguatinga, Distrito Federal, no dia 3 de maio. Após fazer um saque na agência, o correntista foi seguido até um estacionamento próximo, onde foi abordado. Osvaldo reagiu, levou dois tiros e morreu.

7. A economista Patrícia Martins Cardoso, de 48 anos, morreu no dia 4 de maio, depois de ser baleada durante um assalto conhecido como "saidinha de banco". Ela acompanhava seu pai, que havia realizado saques em agências do BB e Caixa no bairro Gutierrez, em Belo Horizonte. Um homem armado levou a bolsa da vítima e atirou na fuga.

8. Em Curitiba, em 4 de maio, no bairro Tarumã, um cabo do exército foi baleado no estacionamento do Banco Itaú na Victor Ferreira do Amaral. Luiz Marcelo Herke morreu no hospital.

9. O operador de máquinas Valdecir Cordeiro foi baleado e morto em troca de tiros entre polícia e quatro assaltantes que invadiram um posto bancário do Banrisul no prédio anexo à prefeitura do município de Gramado dos Loureiros, no Rio Grande do Sul, no dia 2 de junho.

10. Durante o mesmo assalto em Gramado dos Loureiros (RS), Alvino Machado, 51 anos, ex-prefeito da cidade, foi atingido na cabeça por uma bala. Ele foi levado para o hospital, onde faleceu no dia seguinte.
11. O vigilante Giovani da Fontoura Fagundes, 34 anos, foi morto no dia 7 de junho em assalto a um carro-forte da empresa Brinks. O ataque aconteceu no km 31 da rodovia Gramado-Três Coroas (ERS-115), em Gramado, na serra gaúcha.

12. Um cliente foi morto no estacionamento da agência do Itaú Unibanco de Londrina, Paraná, no dia 16 de junho. Ele foi abordado e morto após realizar um saque na agência.

13. O cliente João Cachengo Júnior, de 45 anos, foi outra vítima do crime de saidinha de banco, no dia 2 de agosto. Era empresário musical e foi atingido por dois tiros quando saía de um banco na Rua Domingos de Moraes, na Vila Mariana, na Zona Sul de São Paulo. Segundo a polícia, ele havia acabado de sacar dinheiro na agência. Testemunha disse que viu uma moto com dois homens fugindo.

14. O vigilante Edvaldo Cícero Ambrósio Cunha, 29 anos, morreu na hora, depois de ser atingido por três tiros, sendo um em cada perna e o terceiro no peito, logo acima do colete à prova de balas, durante assalto no dia 16 de agosto, por volta das 10h, quando um carro-forte da Preserve chegava para abastecer a agência do Real, adquirido pelo Santander, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana de Recife. Edvaldo era casado há um ano e não tinha filhos.

15. O vigilante Enir Nazareno Machado Júnior foi morto ao ser baleado durante roubo de malote dentro da agência do Banco do Brasil na Cidade Nova, em Ananindeua, no Pará, no início da noite de dia 9 de setembro. Ele foi baleado na cabeça com um disparo à queima-roupa ao tentar proteger um adolescente. Um bancário e um vigilante também foram feridos.

16. O vigilante de carro-forte da Prosegur, Charles Mendes da Silva, 35 anos, que era chefe de equipe, foi morto na noite de sábado, dia 11 de setembro, em tiroteio com assaltantes na zona sul de São Paulo, durante abastecimento de caixa eletrônico num posto de combustíveis na estrada Guavirutuba, no Jardim Ângela, por volta das 19h, segundo informações da Polícia Militar.

17. O vigilante de carro-forte da Prosegur, Rogério Aparecido Vieira da Silva, 35 anos, também foi morto na noite de sábado, dia 11 de setembro, em tiroteio com assaltantes na zona sul de São Paulo, durante abastecimento de caixa eletrônico num posto de combustíveis na estrada Guavirutuba, no Jardim Ângela, por volta das 19h, segundo informações da Polícia Militar.

18. O cliente Carlos Alberto Santa Brígida do Nascimento, 64 anos, foi mais uma vítima fatal do crime de saidinha de banco. No dia 23 de setembro, ele sacou dinheiro numa agência do BB, na Rua 15 de Novembro, e foi seguido por dois bandidos, que estavam em uma motocicleta. O fato ocorreu no estacionamento do conjunto residencial Aloysio Chaves, no bairro do Jurunas, em Belém, no qual ele morava. Ele era prático e estava acompanhado do motorista Edson Roberto Monteiro, o qual afirmou para a polícia que trabalhava há 18 anos com a vítima.

19. O cliente Luiz Paulo Rodrigues da Silva, 39 anos, foi morto na manhã do dia 23 de setembro, numa saidinha de banco na Tijuca, no Rio de Janeiro. Ele havia acabado de sair de uma agência com R$ 8 mil quando foi abordado por um bandido na Rua Conde Bonfim, em frente ao número 220. Ele era agente penitenciário, reagiu, foi baleado e teria acertado um tiro no criminoso. O ladrão fugiu na garupa de uma moto sem levar o dinheiro, mas roubou a sua arma. Foi levado para o Hospital Panamericano, também na Tijuca, mas não resistiu.

20. O cliente Osório Joaquim Guimarães Neto, 55 anos, foi executado em 5 de novembro ao reagir a um assalto na Rua Andaluzita, Bairro Carmo, Zona Sul de Belo Horizonte, a poucos metros da Corregedoria das Polícias Civil e Militar. Era engenheiro civil aposentado e ex-secretário de Obras de Uberaba. Outro caso de %%saidinha de banco%%.

21. Um vigilante foi morto em 18 de novembro durante assalto à agência do Bradesco em Guarulhos, na Grande São Paulo. Os assaltantes estavam armados com fuzis e invadiram o banco, matando o vigilante. Fugiram levando uma quantia em dinheiro.

22. O cliente Mário Dalfré, de 61 anos, morreu em 2 de dezembro, no Hospital Unimed, em Limeira, no interior de São Paulo. Ele foi vítima, junto com o filho, de 19 anos, do crime de "saidinha de banco", horas antes, na frente da casa de um familiar, no Jardim Boa Vista, na Rua Vicente de Carvalho.

23. Um soldado da Polícia Militar foi assassinado a tiros em 10 de dezembro, na Rua Salvatori, no bairro Rocha, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O policial foi vítima do crime de %%saidinha de banco%%. Ele era o cabo do 12º BPM (Niterói) Antônio José de Souza Martinez, de 46 anos. O garupa de uma motocicleta fez os disparos e o militar morreu no local. O militar havia acabado de sair de uma agência, onde teria sacado dinheiro.

Principais fontes do levantamento:
Agora São Paulo
A Tarde
Amazonas Notícias
Ceará Agora
Contraf-CUT
Correio Braziliense
Diário Catarinense
Estadão
G1
Gazeta do Povo
O Globo
O Imparcial
O Povo
Paraíba 1
Paraná Online
Polícia Civil
Portal Uai
R7
Secretarias de Segurança Pública
Sindicato dos Bancários
Terra
Tribuna do Norte
TV Verdes Mares
Diário do Pará
Outras informações pelo 41 3093-8275 ou 9615-2117.

0 comentários para "ASSALTOS A BANCO: EM 2010 FORAM 1.130 CASOS E 23 MORTES"
Deixar um novo comentário

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.Mínimo de 70 caracteres, por favor, nos explique melhor.