Cancelar
Acesso CNTV

Mais uma morte em saidinha de banco

07Dez

O cliente Mário Dalfré, de 61 anos, morreu na noite de quinta-feira, dia 2, no Hospital Unimed, em Limeira, no interior de São Paulo. Ele foi vítima, junto com o filho, de 19 anos, do crime de "saidinha de banco", horas antes, na frente da casa de um familiar, no Jardim Boa Vista, na Rua Vicente de Carvalho. Os disparos acertaram o braço e o tórax de Dalfré. Os pulmões foram perfurados e balas ficaram alojadas no corpo da vítima.

Trata-se da 22ª morte em assaltos envolvendo bancos em 2010 em todo país, sendo a 9ª em "saidinha de banco", segundo levantamento feito pela Contraf-CUT com base em notícias da imprensa. "Nós precisamos acabar com essa estatística de morte, que atinge bancários, vigilantes e clientes", afirma o secretário de imprensa da Contraf-CUT e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária, Ademir Wiederkehr.

Para colaborar na solução do problema, a Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes (CNTV) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) já apresentaram um anteprojeto de lei para combater o crime de "saidinha de banco". O lançamento ocorreu durante a solenidade de posse da nova direção da CNTV, no dia 19 de novembro.

O projeto estabelece a ampliação dos equipamentos desegurança das agências e postos de atendimento dos bancos, com portas giratórias com detectores de metais antes do autoatendimento, câmeras de filmagem em tempo real com monitoramento externo nas áreas de circulação de clientes, calçadas e estacionamento, vidros blindados nasfachadas, divisórias individualizadas entre os caixas inclusive eletrônicos e biombos entre as filas de espera e os caixas.

A iniciativa, que será levada pelos sindicatos para as câmaras municipais em todo país, também estabelece aos vigilantes o uso de colete a prova de balas, arma de fogo e arma não letal autorizada, além de assento apropriado e escudo de proteção.

Também proíbe o vigilante de exercer qualquer outra tarefa nas agências que não seja a de segurança. Ou seja, o vigilante não deve auxiliar os clientes com dificuldades com caixas eletrônicos nem ser responsável por alertar os clientes quando houver legislação que o impeça de usar o telefone celular, por exemplo.

O presidente da Confederação Nacional dos Vigilantes, José Boaventura explica: “ a proposta que apresentamos é completa e bem mais consistente que ações simplistas como a proibição do uso de celulares”,argumenta. "Os bancos precisam fazer a sua parte, melhorando as precárias condições de segurança privada nos estabelecimentos, assim como os governos devem investir mais na segurança pública, a fim de proteger efetivamente os trabalhadores e a sociedade", conclui.

O crime

Conforme reportagem do jornal A Gazeta de Limeira, Dalfré sacou o dinheiro do banco para fazer o pagamento de seu funcionário. Ao chegar à casa de outro filho, no local do crime, ele ficou no carro e o filho saiu para chamar o irmão. Neste momento, os ladrões se aproximaram.

O ocupante da garupa da moto Twister prata desceu e entrou no veículo da família, o veículo Scenic, HCO-0431/Limeira. Armado, ele exigiu a entrega do dinheiro, que estava com o projetista, mas teria disparado na vítima porque o jovem saiu correndo em direção ao carro.

Houve ainda luta corporal entre o jovem e o ladrão, que conseguiu se desvencilhar e disparou, acertando o rapaz na região do glúteo. Foram quatro disparos no pai e um no jovem.

Mesmo ferido, o filho ainda teve forças para conduzir o carro até o PS da Unimed, onde chegou rastejando. A irmã disse que os médicos afirmaram que o movimento das pernas do rapaz, durante o trajeto do local ao hospital, provavelmente tenha feito com que a bala perfurasse o intestino, piorando o estado de saúde do jovem.

O pai foi levado imediatamente para o centro cirúrgico, não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das 23h30. O filho está internado, mas o quadro de saúde é estável.

A filha do cliente alegou que o pai recuperava de um trauma familiar. "Enterrei minha mãe há dois meses, que morreu de câncer. Ele [pai] ainda saiu ileso de dois acidentes graves e morreu na mão de um vagabundo", desabafou.

Sindicato quer segurança

O Sindicato dos Bancários de Limeira esteve reunido com o vereador Ronei Costa Martins (PT) para apresentar o projeto de lei municipal, elaborado pela Contraf-CUT e a Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes, com o objetivo de combater a "saidinha de banco".

Segundo a secretária-geral do Sindicato, Ana Lúcia Pinto, "existem diversas leis sobre o assunto em Limeira, porém o vereador está discutindo com os demais autores dessas leis para juntá-las em uma só, até para facilitar a fiscalização sobre o cumprimento da mesma".

com Seeb Limeira e A Gazeta

0 comentários para "Mais uma morte em saidinha de banco"
Deixar um novo comentário

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.Mínimo de 70 caracteres, por favor, nos explique melhor.