Cancelar
Acesso CNTV

Vigilantes e bancários cobram segurança bancária em audiência pública

03Dez

Em ) - a ademir al

A Câmara Municipal de João Pessoa realizou, nesta quarta-feira, 1º de dezembro, uma Audiência Pública para discutir segurança bancária, proposta pelo vereador Benilton Lucena. Além de representantes das entidades relacionadas com a atividade bancária, o evento contou com a participação efetiva de lideranças comunitárias e representação local da OAB.

Infelizmente, à exceção do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) que enviou representante, os bancos não compareceram ao debate, assim como as curadorias, procuradorias e os representantes dos órgãos de segurança.

A mesa foi composta pelos vereadores Zezinho do Botafogo e Benilton Lucena, os sindicalistas Marcos Henriques (presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba), Ademir Wiederkehr (secretário de imprensa da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária), José Boaventura Santos (presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Vigilantes e Prestadores de Serviços), Abimadab Araújo (presidente do Conselho de Segurança da Região de Mangabeira) e Roberto Andrade (ouvidor-geral da Ordem dos Advogados do Brasil/Secção Paraíba).

Em seu pronunciamento, o vereador Benilton Lucena parabenizou os trabalhadores pela elaboração do modelo de projeto de lei, dissecou a estatística da violência na Paraíba e conclamou a sociedade a se engajar na luta pelo combate à insegurança, através da formatação de um modelo mais eficaz para vencer os bandidos cada vez mais sofisticados em armamentos e ousados nas práticas de crimes.

"Chegou o tempo da união de todos segmentos da sociedade em prol de um objetivo comum; esse tempo é hoje, esse tempo é agora: todos pela vida, pela tranquilidade, pelo direito do cidadão ir e vir sem temer ter a sua existência interrompida durante a prática ilegal e imoral do crime organizado", arrematou.

A representação dos bancários e vigilantes - Marcos Henriques pelo Sindicato dos Bancários, Ademir Wiederkehr pela Contraf-CUT e Boaventura Santos pela CNTV - defendeu o projeto de lei, a constitucionalidade de os municípios legislarem sobre segurança bancária e a expectativas dos trabalhadores do setor financeiro, que recorrem agora à via judicial em busca de soluções para o fim da violência.

Abimadabe Vieira, presidente do Conselho Comunitário de Segurança da Região de Mangabeira, o maior e mais populoso bairro da capital paraibana, falou sobre o medo das pessoas que necessitam dos serviços bancários, por conta dos assaltos e sequestros, e do pavor de morar perto de agência ou posto bancário, por causa das explosões.

Ele criticou severamente a omissão dos bancos. "Eu tenho vergonha do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal e dos bancos privados que não têm respeito pela vida das pessoas. Eles lucram cada vez mais, não investem em segurança e sequer querem discutir a questão com a sociedade. Contra esse absurdo, Justiça neles!"

No encerramento da Audiência Pública, o vereador Benilton Lucena agradeceu a contribuição de todos que participaram do debate e anunciou que nesta quinta-feira, 2 de dezembro, dará entrada no projeto de lei municipal contra o crime de saidinha de banco, visando ampliar os equipamentos de segurança dos estabelecimentos, a fim de prevenir assaltos e proteger a vida das pessoas.

A mídia local fez uma grande cobertura do evento, por se tratar de um assunto de interesse de toda a sociedade.

0 comentários para "Vigilantes e bancários cobram segurança bancária em audiência pública"
Deixar um novo comentário

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.

Um valor é necessário.Mínimo de 70 caracteres, por favor, nos explique melhor.